Visitando a Vinícola de Concha y Toro

Na região metropolitana de Santiago tem tanta vinícola que um visitante levaria 02 meses e meio para visitar todas elas caso visitasse pelo menos uma vinícola por dia, mas a vinícola mais famosa do país, com certeza é a Concha y Toro. Ela é a quarta maior vinícola do mundo e fica instalada a 21.3 km de Santiago, no extremo sul, no município de Pirque.

Em Santiago as estações do ano são muito bem definidas o que é benéfico para a agricultura e o que torna o Chile um dos países com as maiores plantações de uvas para a indústria vitivinícola, ou seja, para a fabricação de vinhos. O país é reconhecido não só pela quantidade, mas também pela qualidade dos vinhos produzidos por lá.

Entrada da vinícola Concha y Toro

Como chegar em Concha y Toro? 

Existem 03 maneiras de se chegar a vinícola Concha y Toro: Você pode tomar um táxi do local onde tiver hospedado até lá ou você pode agendar um passeio onde a van irá lhe pegar no hotel e te levar até a vinícola. Essas duas maneiras são confortáveis, mas são caras. Se você, como eu quer economizar um dinheirinho durante a viagem eu sugiro a opção metrô + ônibus.

Para chegar a partir da opção mais barata, tome o metro linha verde até Vicente Valdés e depois é necessário fazer a baldeação para Linha 4 e seguir até a estação Las Mercedes. Chegando em Las Mercedes pegue a saída sinalizada como “Concha y Toro” e você pode pegar os ônibus 73, 80 ou 81 e pedir ao motorista para te deixar na frente da vinícola. Seu custo total aproximado será de 1260 pesos e o tempo aproximado do percurso é de 45 minutos.

Uma observação importante é que os ônibus que passam na frente da estação Las Mercerdes não aceitam a Tarjeta Bip, forma de pagamento que é aceita no metrô e nos outros ônibus na cidade de Santiago. Eles aceitam apenas dinheiro.

Concha Y Toro

Tour pela Vinícola

O motivo que me levou a escolher essa vinícola, com certeza é o mesmo que motiva muitos brasileiros: a história do famoso vinho Casillero del Diablo, mas vamos deixar para falar sobre ele mais a frente, ok?

Para visitar a vinícola é necessário fazer a reserva com antecedência pelo site da vicola: Site oficial da vinícola Concha y Toro. Lá você deve escolher o horário que a sua visita irá acontecer e também o idioma. Já te digo que esse não é um passeio de dia inteiro, então, para não perder o dia, marque bem cedo ou bem tarde, para aproveitar o resto do dia fazendo outro passeio. O tour tradicional leva cerca de 1h e custa 14.000 pesos chilenos por adulto e inclui 03 degustações. (valor com base em setembro de 2017).

A visita começa pelos jardins da propriedade de Don Melchor Concha y Toro, que foi o fundador da vinícola em 1883. Na primeira parada, na frente do casarão amarelo que fica na frente de um belíssimo lago e que servia de casa de veraneio para Dom Melchor, o guia conta um pouco da história da família e também sobre os atuais administradores. Ele conta ainda que Concha y Toro foi a primeira vinícola do mundo a ter ações negociadas na bolsa de Nova York.

 A segunda parada é no Jardim das Variedades, uma área da vinícola pensada exatamente para o turista, pois ela contem 26 espécies de uvas, tornando possível para o visitante conhecer mais de perto os tipos de uvas e vinhos fabricados pela vinícola. Infelizmente por estar visitando no fim do inverno, não havia nenhuma uvinha nas parreiras para contar história, mas quem visita a vinícola entre março e abril tem a oportunidade de provar a uva direto do pé.

É nessa parada que o guia conta que a maior produção da vinícola é de uvas cabernet sauvignon e nos leva a nossa primeira degustação: o delicioso Marques de Casa Concha Sauvignon Blanc. Nesse momento o guia nos ensina sobre como fazer a oxigenação do vinho para identificar seus aromas e também notifica a todos os participantes do tour que a taça onde estamos fazendo a degustação é cortesia.

Um pouco a frente desse ponto fazemos a nossa segunda degustação, agora um vinho tinto, trata-se do Terrunyo da uva camenere, e mais uma vez o guia explica um pouco das características da uva e as melhores possibilidades de harmonização.

Jardim das Variedades

Depois de visitar os jardins, o tour segue para visita as bodegas nova e antiga (Casillero del Diablo). A história do nome do vinho tão famoso aqui no Brasil é contada dentro da bodega subterrânea a portas fechadas, o que acaba sendo no mínimo, criativo.

A lenda conta que Don Melchior sofria muitos assaltos em sua bodega e perdia muitas barricas de vinho, e para parar com os roubos espalhou na vila a história de que na bodega escondia-se o próprio Diabo, contado que certa vez, alguns ladrões ficaram assustados com movimentos estranhos e barulhos de garrafas quebrando na tentativa de mais um assalto e, desde então, os roubos cessaram. Daí vem o nome do vinho mais famoso da vinícola, o Casillero del Diablo.

Após conhecer a célebre bodega a visita segue para mais uma degustação. Dessa vez o vinho oferecido foi o Marques de Casa Concha Cabernet Sauvignon e a visita se encerra numa espécie de pátio onde há um restaurante (com menu do dia por 18.000 pesos chilenos, na ocasião), banheiros e uma loja cheia de produtos Concha Y Toro, desde os vinhos mais aclamados até vinhos que podem sair pela bagatela de R$ 20,00 (muito mais barato que quando comprados no Brasil), além de outros produtos como saca- rolhas, aventais, bonés, camisas e outros.

Casillero del Diabo 

Outros posts sobre o Chile:

One Comment on “
Visitando a Vinícola de Concha y Toro

Deixe uma resposta