Um passeio pelo Jardim Botânico do Rio

Quem nunca viu aquela foto com aquelas lindas Palmeiras Imperiais? Ou fotos de casais apaixonados próximo ao Lago das Vitórias-Regias? Ou ainda árvores de caule tão vermelho que parecem estar pegando fogo? Estamos falando de mais um cartão postal do Rio de Janeiro, o Jardim Botânico.

O parque, fundado em 13 de junho de 1808 inicialmente foi criado por decisão do então príncipe regente D. João para ser uma fábrica de pólvora e também um jardim para aclimatação de espécie vegetais de outras partes do mundo.

Separe pelo menos um dia para conhecer o local, pois a área é imensa. São 54 hectares contendo mais de 6.500 espécies de árvores, plantas e flores, algumas delas ameaçadas de extinção. O Jardim Botânico é tombado pelo IPHAN desde 1937 e considerado como Reserva da Biosfera pela UNESCO desde 1991.

Ruínas da Fábrica de Pólvora no Jardim Botânico
Ruínas da Fábrica de Pólvora

Como chegar no Jardim Botânico?

O Jardim botânico fica no bairro homônimo, na Zona Sul do Rio de Janeiro. E não é difícil alcançá-lo. Qualquer ônibus que passe pelo Jockey Club te deixará nas proximidades do parque.

Também é possível alcançar o parque de metrô, através da integração com o metrô na superfície que acontece na estação de Botafogo.

Para quem for de carro, saiba que o local não conta com estacionamento (apenas para pessoas com grandes dificuldades de locomoção),  mas é possível estacionar nas ruas que ficam nas proximidades.

O local também conta com bicicletário. Além disso Uber, assim como Taxi também podem ser uma boa opção.

O que fazer no Jardim Botânico?

As Palmeiras Imperiais são um ícone que pode ser avistado até mesmo de fora do parque, a via, chamada de Aleia Barbosa Rodrigues estampa cartões-postais ao redor do mundo e é um local que não pode ficar de fora durante a sua visita.

Para facilitar o passeio, passe antes no centro de visitantes, lá, além de uma lojinha de souvenir e um café, também é disponibilizado um mapa do parque para os visitantes, assim, é possível filtrar as atrações que mais lhe interessam. No centro de visitantes também é possível agendar horário para fazer um tour pelo parque a bordo de um carrinho elétrico. Os passeios saem de hora em hora e leva em torno de 35 minutos. 

Outro ponto que deve ser incluído na visita são as ruínas da fábrica de pólvora, que sofreu um incêndio em 1823. Ainda é possível conhecer a Casa dos Pilões, onde a pólvora era socada. O local atualmente é um museu que conta mais detalhes sobre o funcionamento desta indústria.

Inclua na visita o Chafariz Central (ou chafariz das musas). Um chafariz fabricado na Inglaterra mostra 4 figuras que representam que a ciência, a arte, a poesia e a música. Perto dali fica o Lago Frei Leandro, por muitos chamado de Lado das Vitórias-Régias. Ele leva esse nome em homenagem ao primeiro diretor do Jardim Botânico, que administrou o parque em torno de 1824.

Veja também o Orquidário e Bromeliário, uma estufa com vários tipos de orquídeas e bromélias. Ela foi construída no final do século XIX e foi restaurada em 1998.

Além desses pontos o parque ainda conta com outras atrações como o charmoso Jardim Japonês, um parque infantil, a aleia onde ficam as árvores de pau-brasil (essas árvores são símbolo do Brasil desde 1978), entre outros.

Próximo a portaria fica também o Bistrô La Bicyclette, local ideal para um café da manhã que pode ser tomado antes ou depois da visita.

Chafariz Central no Jardim Botânico
Chafariz Central

Informações Úteis

Endereço: Rua Jardim Botânico, 1008 – Jardim Botânico
Telefone: (21) 3874-1808 / 3874-1214
Horário: diariamente 08:00 – 17:00 – Durante o horário de verão, o horário se estende até às
18h00.
Valor do Ingresso: R$ 15,00 – somente dinhieiro (Grátis para crianças até 05 anos  ou idosos acima de 60 anos)
Sitehttp://www.jbrj.gov.br/

Gostaria de ler mais posts do Rio de Janeiro? Acesse o nosso índice com mais de 30 opções de passeios na cidade maravilhosa.

Deixe uma resposta