Foz do Iguaçu – Roteiro e Dicas Práticas

O Rio Iguaçu que desagua num cânion entre o Brasil e a Argentina faz a fama da cidade, conhecida pelas suas majestosas cataratas que são a atração turística mais visitada do estado do Paraná, mas além disso a cidade possui atrativos para todos os gostos.

Onde ficar em Foz do Iguaçu?

O grupo Iguaçu Charme tem 05 opções de pousadas e diárias que variam em torno de R$ 120,00 a R$ 150,00 para o casal com café da manhã incluído. Todas elas ficam super bem localizadas no bairro da Villa Yolanda, muito próximo ao centro. Para saber mais sobre as pousadas, acesse o post Grupo Iguassu Charm – 05 opções de hospedagem em Foz do Iguaçu.

O que fazer em Foz do Iguaçu?

– Marco das Três Fronteiras

Sugiro começar a visita pelo marco das três fronteiras. Local onde há o encontro do Rio Iguaçu e o Rio Paraná e também onde ficam os limites entre o Brasil, a Argentina e o Paraguai. O local é uma agradável praça com um obelisco simbolizando o marco, mas a divisa na realidade se dá dentro dos rios. Lá também há um binóculo de longo alcance para observar os marcos do Paraguai e da Argentina, todos muito parecidos. No local há também um memorial e uma vídeo projeção em homenagem a Álvar Núñes “Cabeza de Vaca”, que seria o homem europeu que, buscando uma rota alterativa para o Rio da Prata, acabou encontrando as belezas das Cataratas do Iguaçu. O valor do ingresso pode assustar pelo que é oferecido no local (R$ 18,00 – valor por pessoa). Até o momento da visita o estacionamento ainda não era cobrado.

 

Marco das Três Fronteiras

 

 – Itaipu Binacional

A usina de Itaipu, que também divide territórios (só que dessa vez com o Paraguai), disponibiliza uma visita panorâmica para que os visitantes saibam um pouco mais de sua história e de sua atual função. O tour começa com um vídeo contando um pouco da história do local, e depois a visita segue para um ônibus panorâmico onde acontece um tour áudio guiado, porém com acompanhamento de guia. No caminho há três paradas, a primeira delas para observar o grande paredão de concreto, ou seja, a barragem construída para conter as águas do agora, lago artificial de Itaipu e seus tubos geradores de energia. A guia conta que um daqueles tubos tem a capacidade de escoar 2x a vasão das cataratas do iguaçu. É realmente assustador. A segunda parada é para ver os vertedouros, que apesar de ser o cartão postal da usina, raramente ficam abertos e quando abrem é apenas para escoar o excesso de água do lago. Se você visitar o local e encontrar os vertedouros abertos, considere-se um sortudo, pois ele só abre em 10% dos meses do ano.

Seguindo a visita o ônibus atravessa fronteiras entre o Brasil e o Paraguai e, a guia explica que ali tudo é dividido em 50%, conforme manda o tratado de Itaipu. E que a usina abastece 75% da energia elétrica do Paraguai e 17% da energia elétrica do Brasil. A última parada é para o lago artificial  de Itaipu, que conta com dimensões astronômicas, compreendendo uma área de 1350 km², mas que apesar disso é apenas o 7º maior lago artificial do Brasil.

O valor da visita panorâmica é de R$ 36,00 por adulto e a usina conta com outros passeios como o planetário, o passeio de catamarã, o refúgio biológico, entre outros. Para saber mais informe-se no centro de visitantes o no site turismoitaipu.com.br.

 

Usina de Itaipu

 

– Cassino em Puerto Iguazu

E não há um brasileiro que não queria dar um pulo no Cassino, não é mesmo? O cassino, que fica em Puerto Iguazu apesar de não ser grande conta com jogos de mesa como poker e roletas, além de máquinas caça niqueis. Vale a pena visitar e se divertir um pouquinho. Eu acebei saindo no lucro com R$ 16,00 (haha), mas cuidado para não deixar todo seu dinheiro lá, afinal você com certeza vai querer fazer umas comprinhas no Paraguai. Não é permitido fotos do interior do cassino, mas há uma área externa com algumas máquinas fora de funcionamento onde é permitido fotografar.

 

Cassino em Puerto Iguazu

 

– Compras em Ciudade Del Este

E falando em compras, reserve pelo menos um dia para conhecer Ciudade del Este. A cidade não encanta pela beleza, mas com certeza encanta pelo preço das bebidas importadas e dos eletrônicos. Para otimizar, o ideal é ter em mente o que se quer comprar para facilitar a busca. Procure saber antes as lojas que vendem os produtos que você procura. Os preços realmente são “encantadores”. É possível ir de taxi, de carro e de ônibus até lá, mas o transito é caótico. Sugiro que pegue um ônibus urbano de R$ 5,25 e não se preocupe com o transito. Após atravessar a ponte da amizade, qualquer ponto pode ser o seu ponto de parada. Com relação a segurança, achei menos perigoso que o centro do Rio de Janeiro (cidade onde moro). Apenas recuse as meias e boas compras.

– Templo Budista

Um passeio menos tradicional em Foz do Iguaçu é o templo budista. Ele fica perto da Usina de Itaipu e é um lugar que inspira paz e tranquilidade. Por lá, é possível observar belíssimas estátuas de budas, fazer pedidos e também observar a Ciudade del Este de um outro panorama. O passeio não toma muito tempo, também não conta muito sobre a religião, mas ainda sim vale a visita. Aliás, esse é um dos poucos passeios gratuitos que você irá encontrar em Foz do Iguaçu.

 

Templo Budista

 

– Parque das Aves

Na minha opinião, uma das melhores atrações em Foz depois das Cataratas e com certeza superou as minhas expectativas. O parque vai muito além do que um mero zóologico de aves, ele é um centro de conservação da natureza onde é possível admirar os animais, em muitas das vezes de forma muito natural. Há uma preocupação do parque com as aves que foram resgatadas dos maus tratos ou do tráfego de animais e da recuperação dessas aves. São mais de 1100 animais (não só aves, o que me surpreendeu) e 16,5 hectares de mata atlântica preservada. É claro que a principal atração é entrar na jaula onde ficam soltos tucanos ou o maior viveiro de araras da América do Sul (que também ficam soltas) e muitas delas em extinção. No final do passeio é possível segurar as araras mansas, mas atenção: o “toque” não ocorre as segundas-feiras. De qualquer modo, se você possuir mais tempo na cidade é possível pegar uma autorização e retornar no dia seguinte para essa atividade, o que acabou acontecendo comigo. Os R$ 40,00 do ingresso acabam valendo cada centavo.

 

Parque das Aves Foz do Iguaçu

 

– Cataratas do Iguaçu

Um passeio realmente incrível para quem gosta de cachoeira e natureza. Eu vou ter que acabar repetindo o clichê e dizer: “Não sei como não tinha ido a Foz do Iguaçu para ver as cataratas antes”.

Considerada Patrimônio Mundial Natural da UNESCO desde 1986 e eleita em 2007 como uma das sete maravilhas naturais do planeta, o parque conta com 600 mil hectares de de áreas protegidas e  cerca de 275 cascatas desabando dentro de um cânion de quase 80 metros de altura. Nos dias de cheia no rio Iguaçu, cerca de 10 bilhões de litros de água vertem, por hora, diante dos olhos dos visitantes do parque.

  •  Lado Brasileiro

No lado do Brasil, o passeio começa a partir de um ônibus panorâmico com diversas paradas para passeios alternativos, mas é claro que a parada mais esperada é a Trilha das Cataratas, com 1.500 metros de passarelas interligando alguns mirantes.

Muito próximo as cataratas, a passarela leva você até o ponto onde é possível ver de frente a “Garganta do Diabo”, o ponto alto do passeio. Alí, deixe-se apenas envolver-se pela emoção de estar diante de tanta beleza divina. (Foto destacada no início deste post).

Quando cansar de ver a água descer, continue passeando. Há mirantes dispostos em três níveis e um elevador panorâmico que leva até uma praça de alimentação e um restaurante com sistema de buffet com vista para o Rio Iguaçu, o Porto Canoas.

O mais famoso dos passeios alternativos é o Macuco Safari, onde o visitante a bordo de uma espécie de bote se dirige contra a correnteza até muito próximo das cataratas Três Marias. Um passeio molhado e radical. (Valor por pessoa – R$ 215,00 – setembro 2017).

O valor dos ingressos no parque, por adulto é de R$ 38,50 e caso vá de carro previna-se para pagar o estacionamento no valor de R$ 22,00. (Base de preço – setembro 2017)

  •  Lado Argentino

Com o perdão da palavra mas o lado argentino é fod@. É quase impossível acreditar que apenas 20% dos turistas brasileiros que visitam Foz do Iguaçu, visitam o lado argentino também (dados segundo o Convention & Visitors Bureau de Foz do Iguaçu). E quem não vai, não sabe o que está perdendo.

Só no lado Argentino da pra ter noção do tamanho desse parque de cataratas, visto que o lado dos “hermanos” possui dois terços do total das quedas e mais opções de trilhas que permitem desvendar cachoeiras escondidas e ficar todo molhado com a água das cataratas sem precisar pagar os preços abusivos do Macuco Safari.

As principais trilhas são a Garganta del Diablo, o circuito superior e o circuito inferior. Apesar da mais visitada e imponente ser a trilha da Garganta del Diablo, não deixe de fazer os outros dois circuitos para ter panoramas incríveis do parque e eu tenho certeza de que você não irá se arrepender.  A soma dessas três trilhas leva a 5,3km de caminhada, por isso, reserve pelo menos um dia para visitar o parque.

Valor do ingresso: $200,00 pesos por pessoa. Caso vá de carro o estacionamento custará $100,00 pesos.

Importante: O parque só aceita pagamento em pesos argentinos, por isso já leve seu dinheiro trocado. Já o estacionamento pode ser pago com cartão de crédito.

Onde comer em Foz do Iguaçu?

Almoço

Se você, como eu gosta de comer barato no almoço para enfiar o pé na jaca no jantar, não deixe de experimentar o almoço da Cantina Armazem do Vinho na Av. das Cataratas, 1629. O ambiente, apesar de simples é totalmente familiar, os donos são muito simpáticos, e a comida é super saborosa. Durante a minha estadia em Foz, fui duas vezes no local . Paguei o valor de R$ 14,99 pelo buffet livre.

Vida Noturna

  • Rafain Chopp – Fica no centro, na Av. Jorge Schimmelpfeng, 450. Lá a comida e a bebida tem preços em conta, como a tábua de isca de porco com mandioca por menos de R$ 35,00, a torre de Brahma de 1,5l por R$ 25,00 e drinks de caipivodka turbinados por R$ 17,90.
  • Capitão Bar – Parece que é na Av. Jorge Schimmelpfeng que a diversão se concentra. O Capitão Bar foi uma das opções de bar que encontrei aberto numa segunda-feira. Cardápio variado com porções, pratos e pizzas por um preço justo.
  • Eden Beer – Steak Garden e Choperia – Fora do centro, o charmosinho Eden Beer fica na Av. das Cataratas, 460. Com ambiente descolado e bom atendimento, além de um cardápio variado com porções que fogem do tradicional.

Outras orientações:

Dica 1: Quando for para Foz do Iguaçu, escolha seu assento no lado esquerdo do avião, pois nesse lado, antes mesmo de chegar na cidade já é possível avistar as cataratas.

Dica 2: Se sua opção de transporte em Foz do Iguaçu for alugar um carro, verifique com a sua locadora se ele já vem com a carta verde. Caso você seja parado por uma blitz na Argentina será necessário apresentar esse documento. Algumas casas de câmbio próximo a aduana brasileira emitem a carta verde pelo valor de R$ 58,00 para utilizar por um período de 3 dias. A não apresentação desse documento pode implicar na apreensão do veículo.

Para outros olhares de Foz de Iguaçu, recomendo:

Maquiadora Viajante – 4 dias em Foz do Iguaçu – Paraná

Casa de Doda – Restaurantes em Foz do Iguaçu|Pr

Viajar Correndo – Foz do Iguaçu: Índice de todos os posts

3 Comments on “
Foz do Iguaçu – Roteiro e Dicas Práticas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *